Benedita da Silva

Benedita da Silva construiu sua vida pública envolvida nas lutas em favor das comunidades empobrecidas do Rio de Janeiro, sua cidade natal. Moradora do morro Chapéu Mangueira durante 57 anos, iniciou sua trajetória na Associação de Favelas do Estado do Rio de Janeiro.

Foi voluntária e alfabetizava adultos e jovens na favela do Chapéu Mangueira pelo método Paulo Freire. Nunca deixou de estudar e, aos 40 anos, concluiu os cursos de Serviço Social e de Estudos Sociais.

Em 1979, filiou-se com entusiasmo na criação do Partido dos Trabalhadores, pois via ali a oportunidade das mulheres, negras e pobres lutarem de forma organizada por direitos.

Em 1982, já articulada com os movimentos de mulher, negro e comunitário, foi eleita a primeira vereadora do PT e também a primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Câmara de Vereadores da cidade do Rio de Janeiro.

A eleição para deputada federal em 1986 foi o reconhecimento do trabalho em defesa da mulher, da igualdade racial, da trabalhadora doméstica, das minorias, dos direitos humanos e das comunidades faveladas. Assumiu o mandato, que também era constituinte, com a determinação de incluir na nova Constituição democrática os direitos desses segmentos discriminados.

Foi um luta árdua incluir os direitos das trabalhadoras domésticas, muitos dos atuais direitos da mulher e garantir o direito das mulheres presidiárias de permanecerem com os seus filhos durante a amamentação. Lutou pela igualdade racial, pela titulação das terras de quilombos, entre outras bandeiras. Foi suplente da Mesa Diretora da Câmara na Constituinte.

Benedita da Silva manteve a coerência em todos os mandatos e cargos que assumiu. Assim, foi na condição de vereadora, deputada federal, senadora, vice-governadora, governadora, ministra de Desenvolvimento Social do primeiro Governo de Lula, e secretária estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro.

Em 2002, quando governou o estado do Rio de Janeiro, numa decisão inédita, nomeou 20% de negros para o primeiro escalão. Implantou a lei cotas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Ao ser eleita novamente deputada federal, em 2010, foi escolhida para ser a relatora da Proposta de Emenda Constitucional que ampliou os direitos trabalhistas das trabalhadoras domésticas, uma categoria com cerca de 7 milhões de pessoas. Foi uma oportunidade que a honrou, pois essa é uma luta que ela vem travando desde o início de sua vida política.

Do movimento comunitário do Chapéu Mangueira aos mandatos políticos que exerceu e continuou exercendo, passando pelo engajamento em defesa da igualdade racial, dos direitos da mulher e da inclusão social e de uma trajetória que reflete as lutas de todos aqueles que são excluídos, e lutam por uma sociedade socialmente mais justa e democrática.

  • Privatização da CEMIG

    O desmonte avança. Na quarta-feira (27), o governo golpista vendeu para empresas estrangeiras quatro usinas hidrelétricas da Cemig. Os deputados Patrus Ananias, Benedita da Silva, Padre João PT, Margarida Salomão, Deputado José Guimarães e o senador Humberto Costa apontam que, além da queima do patrimônio público, privatização aumentará conta de luz. Assista:

    Publicado por Partido dos Trabalhadores em Quinta-feira, 28 de setembro de 2017
    Na última quarta-feira (27) usinas hidrelétricas da Cemig foram vendidas para empresas estrangeiras. Deputados do PT alertam: “O desmonte avança”
  • O Brasil que o povo quer: Benedita da Silva

    A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) reforça a importância de participação popular na plataforma #BrasilQueOPovoQuer. "Nós temos agora uma grande oportunidade de dialogar com o povo".Acesse a plataforma Brasil Que O Povo Quer e participe deste movimento! https://brasilqueopovoquer.org.br

    Publicado por Partido dos Trabalhadores em Sexta, 22 de setembro de 2017
    A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) reforça a importância de participação popular: “Nós temos agora a oportunidade de dialogar com o povo”
  • TODOS CONTRA TEMER! 100% dos deputados petistas, ou seja, 58 parlamentares, votaram contra Michel Temer e a favor do prosseguimento da investigação por corrupção do golpista! Veja o voto de cada um dos deputados do PT e tenha ainda mais certeza: eles estão ao lado do povo brasileiro!

    Publicado por Partido dos Trabalhadores em Quinta-feira, 3 de agosto de 2017
    100% dos deputados petistas votaram contra Michel Temer e a favor da investigação por corrupção do golpista. Assista aos votos dos parlamentares
  • Benedita da Silva

    Benedita da Silva: "Se Temer acha que é inocente, que ele prove que é inocente". A deputada afirma que a luta pelas #DiretasJá continua!

    Publicado por Partido dos Trabalhadores em Quinta-feira, 3 de agosto de 2017
    “Se Temer acha que é inocente, que ele prove que é inocente”, declarou a deputada após a votação contra o golpista, na Câmara dos Deputados