Postado por Agência PT, em 12 de fevereiro de 2016 às 08:47:35

No próximo sábado (13), uma mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti vai levar cerca de 220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica às ruas de 356 municípios de todo o País.

A ação de conscientização visa orientar a população no combate ao mosquito vetor da dengue, da febre chinkungunya e do vírus zika. Os militares irão distribuir material impresso com orientações para a população sobre como manter a casa livre dos criadouros do Aedes Aegypti. O panfleto também terá um número de telefone local que irá receber denúncias de locais onde haja proliferação do mosquito.

A meta da mobilização nacional é visitar três milhões de residências. A ação vai abranger todas as cidades consideradas endêmicas, de acordo com indicação do Ministério da Saúde, além das capitais do País.

Segundo o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, a atuação no dia 13 de fevereiro é a segunda etapa de uma ação maior dos militares no combate ao mosquito. A primeira ocorreu até o dia 4 de fevereiro, quando os militares fizeram um mutirão para erradicar criadouros do mosquito em instalações das Forças Armadas em todo o País.

Na terceira etapa, entre os dias 15 e 18 de fevereiro, um contingente de 50 mil militares fará nova visita, em ação coordenada com o Ministério da Saúde e autoridades locais, para inspecionar possíveis focos de proliferação nas casas e, se for o caso, aplicar larvicida.

A última etapa, ainda em discussão com o Ministério da Educação (MEC), prevê a mobilização dos militares para reforçar o trabalho de conscientização em escolas das redes pública e privada.

Acompanhar de perto - A previsão é que a presidenta Dilma Rousseff acompanhe os trabalhos das Forças Armadas pessoalmente, no Rio de Janeiro. O governo enviará um ministro de estado a cada capital do País. Veja a lista completa de ministros que participarão da mobilização contra o Aedes aegypti no próximo sábado:

Gilberto Occhi (Integração Nacional) – Aracaju (SE)

Valdir Simão (Planejamento) – Belém (PA)

Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário) – Belo Horizonte (MG)

Marcos Jorge de Lima (Secretário-executivo do Ministério do Esporte) – Boa Vista (RR)

Alexandre Tombini (Banco Central) – Brasília (DF)

Aldo Rebelo (Defesa) – Campinas (SP)

George Hilton (Esporte) – Campo Grande (MS)

Carlos Higino (Controladoria-Geral da União) – Crato (CE)

Gilberto Kassab (Cidades) – Cuiabá (MT)

Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) – Curitiba (PR)

Guilherme Walter Ramalho (Aviação Civil) – Feira de Santana (BA)

Míriam Belchior (presidenta da Caixa) – Florianópolis (SC)

José Eduardo Cardozo (Justiça) – Fortaleza (CE)

Nelson Barbosa (Fazenda) – Goiânia (GO)

Henrique Eduardo Alves (Turismo) – João Pessoa (PB)

Gustavo do Vale (presidente da Infraero) – Macapá (AP)

Edinho da Silva (Secretaria de Comunicação Social) – Maceió (AL)

Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) – Manaus (AM)

Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) – Natal (RN)

Izabela Teixeira (Meio Ambiente) – Niterói (RJ)

Aloizio Mercadante (Educação) – Osasco (SP)

Miguel Rossetto (Trabalho e Previdência Social) – Palmas (TO)

Eduardo Braga (Minas e Energia) – Porto Alegre (RS)

Carlos Gabas (secretário especial da Previdência) – Porto Velho (RO)

Tereza Campello (Desenvolvimento Social) – Recife (PE)

Juca Ferreira (Cultura) – Rio Branco (AC)

Marcelo Castro (Saúde) – Salvador (BA)

Helder Barbalho (Portos) – Santos (SP)

Jaques Wagner (Casa Civil) – São Luís (MA)

Antonio Carlos Rodrigues (Transportes) – São Paulo (SP)

Nilma Lino Gomes (Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos) – Teresina (PI)

Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) – Vitória (ES)

 

Por Luana Spinillo, da Agência PT de Notícias