Partido dos Trabalhadores

Em defesa de Lula, PT e movimentos organizam resistência em Porto Alegre

Acampamento de movimentos sociais, ato de mulheres e debate público com juristas são algumas das atividades previstas para a semana do julgamento de Lula

Alexandre Padilha durante reunião do diretório estadual do PT-RS

Em reunião do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Sul na quarta-feira (28), o vice-presidente do PT Nacional Alexandre Padilha e o presidente do PT-RS, Pepe Vargas, conclamaram a militância a participar de um movimento de resistência que terá como marco inicial o dia 13 de janeiro, Dia Nacional de Mobilização.

“Cada sede do PT, cada casa, cada sede de entidade deve se transformar em um comitê em defesa da democracia“, salientou Padilha no encontro.

Porto Alegre irá recebar centenas de militantes a partir do dia 20 de janeiro, quando será instalado um acampamento do MST e a cidade irá recepcionar a chegada de caravanas de diversos municípios e estados às vésperas do julgamento do ex-presidente Lula, marcado para o dia 24  de janeiro no TRF-4.

Já no dia 22, juristas brasileiros e estrangeiros de renome realizarão um grande debate público para demonstrar as inúmeras falhas e irregularidades no processo movido contra Lula sem provas e com clara intenção de perseguição política.

No dia seguinte, em 23 de janeiro, as secretarias de mulheres do Partido dos Trabalhadores promoverão um potente ato com a presença da presidenta legítima  Dilma Rousseff e de sua ministra  Eleonora Menicucci, além da presidenta nacional do PT,  Gleisi Hoffmann. Na mesma data, terá início uma vigília nacional em defesa da democracia, da justiça e de Lula.

Dica Sitoni

Reunião do diretório estadual do PT-RS define ações para janeiro em defesa de Lula e da democracia

Simultaneamente ao início do julgamento, no dia 25, um grande ato político-cultural marcará o posicionamento da população contra as injustiças cometidas até o momento contra Lula e o povo brasileiro. “Vamos provar que este processo é uma farsa e que Lula tem direito de ser presidente de novo”, reforça Pepe.

“O TRF-4 será uma das batalhas que enfrentarmos neste 2018”, ressalta Padilha, lembrando que o ano que se inicia será um de mobilização e vigília constantes. É por isso que, no dia 25, o PT reunirá seu Diretório Nacional e parlamentares de todo o país para reafirmar o nome de Lula como única opção para a candidatura à Presidência da República nas eleições de outubro.

Ao lado de outros partidos de esquerda e dos movimentos sociais, o PT está empenhado para lutar por Justiça, defender a democracia e se posicionar contra os desmontes cometidos por um governo ilegítimo e indesejado pelos brasileiros e brasileiras. É um processo que tem o objetivo obsessivo, nas palavras da presidenta do PT Nacional, Gleisi Hoffmann, de incriminar somente  o presidente Lula para tirá-lo da disputa de 2018.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações de Dica Sitoni