Postado por Agência PT, em 6 de fevereiro de 2015 às 11:42:27

Desde a eclosão da Operação Lava Jato, que investiga irregularidades na Petrobras, uma onda de informações distorcidas ou mal intencionadas tomou conta da imprensa e das redes sociais.

A maioria, como de costume, tenta relacionar o PT e seus dirigentes a supostas irregularidades praticadas em contratos da estatal. Outras, vão além e afirmam, sem apresentar qualquer prova, que recursos foram direcionados ao caixa do partido de forma ilegal.

Entenda o caso:

- Em depoimento à Justiça Federal, o ex-gerente de Engenharia da Petrobrás, Pedro Barusco, revelou à Polícia Federal (PF) que os esquemas de corrupção na Petrobras se iniciaram, de fato, durante o governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). (Leia o depoimento Pedro Barusco)

-As irregularidades não têm relação com a chegada do PT ao governo federal. Pelo contrário, só foram descobertas graças à autonomia e estrutura dada pelas gestões Lula e Dilma aos órgãos de investigação.

- Por exemplo, a lei anticorrupção, que viabilizou a Lava Jato foi sancionada pela presidenta da Dilma

- A dedução de todas as manchetes da mídia em geral é que o PT, na pessoa de seu secretário Nacional de Finanças, João Vaccari Netto, recebeu dinheiro desviado da Petrobras.

- O fato é que não foi colhida nenhuma prova ou indício que sustentem essas afirmações em quase onze meses de investigação da Lava Jato.

- Vaccari está e sempre esteve totalmente à disposição dos órgãos de investigação.

- Apesar disso, optaram por colher suas declarações às vésperas das comemorações do aniversário do PT. “Há tentativa de criminalizar o PT” , afirma o presidente do PT, Rui Falcão.

- A estratégia, aparentemente, buscou apenas causar constrangimento ao partido. Durante depoimento à PF, na quinta-feira (5), Vaccari não deixou qualquer pergunta sem resposta.

- “Não há absolutamente nenhum indício ou acusação direta comprovada a Vaccari. Mesmo a polícia não o acusou com indício ou prova de ilegalidade”, afirma o secretário Nacional de Comunicação do PT, José Américo.

- Além disso, Vaccari é secretário de Finanças do PT há cinco anos. Ou seja, assumiu a função em 2010.

- Pedro Barusco aposentou-se da Petrobras em 2010 e passou a trabalhar em empresa privada, a Sete Brasil.

- Suas declarações, em delação premiada sem documentos ou outra prova qualquer, não trazem  fatos que comprometam a atuação de Vaccari no PT, além das manchetes de jornais.

Da Redação da Agência PT de Notícias