Lula Pelo Brasil – Diário da Caravana por Minas Gerais

pt.org.br
outubro 29
DiamantinaMG
CordisburgoMG
Foto: Ricardo Stuckert
Visita ao museu Casa JK
Visita ao museu Casa JK

Lula pelo Brasil: As prioridades da educação para o País pós-golpe

Lula, Dilma e Haddad se reuniram, neste domingo, com 17 reitores e representantes de universidades e Institutos Federais em Diamantina

Lula por Minas Gerais: Reunião com educadores na UFVJM

No domingo (29), o ex-presidente Lula se reuniu com reitores e educadores de universidades mineiras para discutir os desafios da educação na atual situação do país. Acompanhe a cobertura completa da Agência PT de Notícias: http://bit.ly/2yErqoI#LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais

Publicado por Partido dos Trabalhadores em Segunda, 30 de outubro de 2017

Quais são as prioridades para o ensino superior público no atual momento que o Brasil vive e para o futuro dos estudantes brasileiros? Esse e outros temas foram debatidos, neste domingo (29), entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidenta eleita Dilma Rousseff, o ex-ministro daEducação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, com 17 reitores e representantes de universidades e Institutos Federais de Minas Gerais.

A conversa foi parte da caravana Lula pelo Brasil, etapa Minas Gerais, na Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri, em Diamantina. No dia anterior, o ex-presidente participou de ato em defesa da educação, no centro da cidade.

Na pauta, um tema recorrente: a expansão do ensino superior público e também o ensino técnico no Brasil. Para os reitores e representantes que participaram do encontro, a PEC 55, que congela investimentos em áreas como saúde e educação, é um desastre para os brasileiros. Além disso, eles condenaram veementemente a falta de autonomia das universidades públicas.

O ex-presidente Lula orientou aos reitores que conversem com os estudantes nas universidades e institutos federais, para que os jovens saibam o que realmente está acontecendo com a educação superior pública.

“O momento é de vocês irem para a linha de frente da batalha, dizer que vocês tinham assumido o compromisso e que de repente chega um governo toma conta e tenta desmontar tudo que estava em andamento. E dizer quem é o culpado”.

“É preciso envolver os estudantes para cobrar o que estava garantido. Nós vamos tentar pagar, no século 21, pagar a dívida com a educação. Eles terminaram abortando o futuro do País. Colocar dinheiro na educação como gasto é uma falácia’, completou Lula.

Aos reitores, ele lembrou a criação do ProUni, o ReUni, da ampliação do acesso ao ensino superior, aumento doFies.

“Nós temos um aprendizado acumulado e nós precisamos exercitá-lo diariamente. Nós temos que imaginar o que a gente era há 15 anos. Nós mudamos muito, tem muita faculdade envolvida em ajudar outros segmentos sociais e isso precisa ser aperfeiçoado”.

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann; o líder do PT no SenadoLindbergh Farias; o líder do PT na CâmaraCarlos Zarattini; os ex-ministros Luiz Dulci e Eleonora Menicucci; o vice-presidente e coordenador da caravana, Marcio Macedo; o secretário de Finanças e Planejamento do PT, Emidio de Souza; o deputadoReginaldo Lopes e as deputadas Margarida Salomão e Benedita da Silva também participaram do encontro em Diamantina.

A presidenta Dilma Rousseff ressaltou a importância da reunião com reitores e representantes neste momento delicado na vida do Brasil. “Os contratos não estão sendo cumpridos. O principal contrato, que é o democrático, é rasgado. Não estão dando o respeito à educação do país”.

Ela cobrou mais investimentos em educação, de forma progressiva. “Tem que gastar e muito em educação, se quiserem um país desenvolvido. (…) Se a universidade muda de cor, se negros, índios, pessoas da educação pública, hoje ocupam 50% das vagas, obviamente vamos precisar ter uma assistência escolar diferenciada”.

Para o ex-ministro e ex-prefeito Fernando Haddad, o País está sendo conduzido por homens pequenos que não tem a dimensão do potencial que o Brasil tem. Ele lembrou as conquistas da educação brasileira durante os governos do PT, como a autonomia da rede federal, vinculação de recursos e ampliação.

“Por trás dessa afronta existe também a ideologia. Eles querem impor soluções pelo constrangimento”, falou, exemplificando a situação com a tentativa de cobrança de mensalidade na universidade, proposta que já foi ventilada pelo governo golpista de Michel Temerpor meio do ministro Mendonça Filho.

“Governo Temer está trazendo os anos 90 de volta. Está atrasando 20 anos”, finalizou Haddad.

O maior legado dos governos Lula e Dilma é representado pelos investimentos na educação do Brasil. Para o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), o que o ex-presidente e a presidenta fizeram pelo povo vai marcar gerações e o futuro do País. “Começamos a construir um projeto de Nação. Projeto esse que hoje está interrompido. Esses reitores são guerreiros, competentes e comprometidos. Eles estão na resistência. O orçamento 2018 é zero de investimento, parece brincadeira. Nem a ditadura ousou romper com a autonomia das universidades”.

Expansão e investimentos na educação

O anfitrião do evento, reitor da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri, Gilciano Nogueira, lembrou que Minas Gerais é o estado que possui o maior número de instituições públicas de ensino superior.

“É preciso refletir sobre a situação das universidades e institutos num momento como esse, em que estamos atravessando uma crise sem precedentes, é muito importante. Esse ano tem sido muito duro para os reitores”, disse.

Para o reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, Marcus Vinícius David, o teto de gastos aplicado pelo governo golpista de Michel Temer é um grande equívoco. Ele ressaltou que as universidades já estão enfrentando dificuldades e disse não saber como será o futuro da educação superior pública. “O que nós estamos vendo é uma alternativa da direita que achava que com um artigo poderia resolver um problema grave que é a questão fiscal”, criticou.

Entre tantos agradecimentos, o reitor da Universidade Federal de Alfenas, Paulo Márcio, fez um especial: “a gratidão é a memória do coração”. A dívida que nós temos com vocês, Dilma, Lula e Haddad, é impagável”.

Lula estará ainda hoje em Diamantina! #LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais

A post shared by Partido dos Trabalhadores (@pt13_oficial) on

Por Clarice Cardoso e Mariana Zoccoli, enviadas especiais à Minas Gerais para a caravana Lula pelo Brasil, para a Agência PT de Notícias

Foto: Ricardo Stuckert
Reunião com reitores de universidades e institutos de Minas Gerais, em Diamantina
Reunião com reitores de universidades e institutos de Minas Gerais, em Diamantina

Jovens de Diamantina celebram oportunidades criadas pela UFVJM

Permanência dos estudantes mais carentes na Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri é ameaçada por cortes do governo golpista de Michel Temer

Lula por Minas Gerais: UFVJM Diamantina

"O governo Lula garantiu esse acesso à educação para todos", afirma Kelly Cristina, mestranda da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri, um legado do ex-presidente Lula. Acompanhe a cobertura completa da Agência PT de Notícias: http://bit.ly/2yErqoI#LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais

Publicado por Partido dos Trabalhadores em Sábado, 28 de outubro de 2017

Durante os governos do ex-presidente Luiz InácioLula da Silva e da presidenta eleita Dilma Rousseff, a quantidade de alunos matriculados no ensino superior na cidade de Diamantina saltou de 2.088 para 8.252 pessoas. Além de programas como oPronatec, Prouni e Fies, esse crescimento se deve em boa medida à Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), criada em 2005.

A estudante de pós-graduação em educação na UFVJM, Kelly Cristina Tameirão, conta que a universidade mudou a cultura de Diamantina.

“Quando eu era adolescente, terminando o fundamental e partindo para o ensino médio, era muito diferente do que hoje os adolescentes vivenciam, naquela época a gente sabia que teria de sair pra fora para poder estudar, aqueles que tivessem condições de pagar”, conta Tameirão.

“Aqui sempre teve faculdade de Odontologia, que depois se tornou parte da Universidade Federal, mas o acesso a ela era bem limitado. Eu entendia que somente os alunos provenientes de escola particular conseguiriam preencher essas vagas públicas”.

“A graduação era uma realidade muito distante. Com a universidade mudou essa cultura, hoje a gente vê todas as classes na universidade. O governo Lula garantiu esse acesso da educação para todos”.

Kelly ainda afirma que se a universidade fosse paga, ela não teria condições de cursar sua pós-graduação. “Caso fosse necessário pagar, não teria como arcar com essa despesa, ainda que sempre tenha sido um sonho meu”.

Kamilla Ferreira/Agência PT

Segundo Victor Diana, a universidade federal de Diamantina abriu portas para a população do Vale do Jequitinhonha

Aluno de Engenharia Florestal, Victor Diana avalia que a universidade ainda trouxe um impulso para a economiada cidade, que depende em grande parte do turismo, que é uma atividade sazonal. Além disso, abriu oportunidades em uma região pobre de Minas Gerais.

“É uma região relativamente pobre, e a maioria das pessoas não teria condições de se deslocar para uma capital como Belo Horizonte ou São Paulo para cursar. Com a faculdade de Diamantina, abriu as portas para o pessoal daqui da cidade mesmo e de municípios da região virem para cá, fazer o ensino superior público”.

“É um local que é porta do Vale do Jequitinhonha, região com escassez de muita coisa, e abrindo a universidade aqui, pode trazer pessoas da região para ter perspectiva de vida melhor futuramente. Em relação à cidade, ajudou bastante a economia, porque muitas pessoas daqui vivem hoje da renda que os estudantes trazem para a cidade, como o aluguel, os comércios, que têm que agradecer aos estudantes que estão aqui”.

Victor ainda destaca que “o governo Lula chegou e revolucionou bastante coisa”. Ele relata que os pais nunca tiveram oportunidade de cursar uma graduação e que ele mesmo só conseguiu após programas criados pelo PT.

“No governo Lula, vejo várias pessoas conseguirem entrar na universidade, vários programas como o Prouni, o Sisu, que abriu muitas portas para todo mundo entrar na faculdade, e isso expandiu para todos os locais”.

“Hoje a UFVJM conta com campus em cidades que se fosse em outro governo, provavelmente não teria. Com o governo Lula, a gente pode ver que expandiu bastante a universidade pelo país. Teve também o Ciência Sem Fronteiras, que se existisse ainda hoje todo mundo gostaria de participar, porque é um programa que abre a visão da pessoa”.

Kamilla Ferreira/Agência PT

Renan Gontijo afirma que não poderia pagar uma universidade privada

Outro aluno de Engenharia Florestal, Renan Gontijo é da cidade de Pirapora, a 250 quilômetros de Diamantina, e afirma que a proximidade foi um fator decisivo para optar ingressar na graduação.

“A universidade abrange muitas cidades do norte de minas, e acaba que é economicamente mais fácil vir para perto, tanto pelo transporte, quanto por estar no berço de Diamantina”.

“Minha mãe é funcionária púbica da prefeitura e meu pai tem uma mercearia. Se fosse para bancar uma particular, seria muito inviável”.

A estudante Iolanda Araújo Rodrigues, destaca que “em uma universidade federal você tem um caminho mais amplo para educação, para pesquisa, abre mais leques na sua formação profissional, e também é uma nova experiência, é morar fora, conhecer novas culturas, novos valores, para mim foi de grande proveito”.

Kamilla Ferreira/Agência PT

“Eu não estaria aqui se não fossem oportunidades como essa”, diz Iolanda sobre o Sisu

Aluna do quarto ano de Engenharia Florestal, ela credita ao governo Lula seu ingresso no ensino superior.

“Achei o governo de Lula excelente, eu mesma não estaria aqui se não fossem oportunidades como essa, que foi através do Sisu [Sistema de Seleção Unificada], antes era muito restrito. Eu me formei em 2006, entrei na faculdade em 2012. Foi com essa abertura do Sisu que nos possibilitou a chegar na universidade”.

“Na minha cidade não tinha curso superior federal e os particulares sempre muito caros. Então foi uma oportunidade muito grande”.

Iolanda conta que sonhava em viajar para o estudar no exterior pelo Ciências Sem Fronteiras, mas após os cortes de Temer, ficou muito difícil.

“O Ciência Sem Fronteiras era meu sonho fazer, mas hoje em dia está muito restrito, cortou muito, é uma grande perda para a sociedade como um todo, porque creio que a educação em si que vai abrir caminhos para que o país se desenvolva”.

“Não adianta aumentar imposto daqui, reter dinheiro dali, aumentar aquilo outro, se não investir na educação. Igual a matéria prima daqui, tão baratinha, é exportada, depois a gente compra os produtos com a matéria prima que saiu daqui, porque não tem mão de obra qualificada”.

Para ela, “o governo que não apoia a educação, que não apoia a pesquisa, não tem como o país ir para a frente. Acho que foi avanço muito grande do PT, porque proporcionou essas aberturas”.

Kamilla Ferreira/Agência PT

Júlio César Formiga

Para Júlio Cesar Formiga, “a universidade tem um conceito muito bom no MEC e ela está dentro da minha cidade, eu nasci e fui criado aqui, portanto é uma mão na roda ter uma universidade desse porte aqui e não precisar sair pra estudar”.

“Se não tivesse essa universidade aqui, eu não teria condições de fazer um curso superior. Acredito que várias pessoas aqui estão na mesma situação”, afirma o estudante.

Desmontes de Temer afetam permanência estudantil

Com os cortes promovidos por Michel Temer, os auxílios estudantis que mantêm muitos jovens na graduação sofreram uma séria redução na UFVJM.

Renan Gontijo conta que sentiu as mudanças no último ano. “Quando vim para cá em 2012, que era Dilma, eu consegui os auxílios, auxílio alimentação, auxílio xerox, auxílio transporte, e após o primeiro corte de verba que veio com o Temer, cortou todos esses auxílios, hoje eu não recebo mais nenhum”.

Para Victor Diana, “com Temer, deu muita diferença. Várias pessoas recebiam vale transporte, auxilio xerox, auxílio alimentação, isso motivava as pessoas na Universidade”.

“Com os cortes vi várias pessoas perdendo os auxílios e isso dificultou a vida de vários estudantes. Tenho amigos que os pais não tem condições de bancar e com o auxílio tinham uma vida melhor na universidade, esses cortes deixaram as pessoas bem prejudicadas”.

Por Pedro Sibahi, enviado especial à caravana Lula pelo Brasil em Minas Gerais, para a Agência PT de Notícias

Foto: Ricardo Stuckert
Lula visita a Casa Guimarães Rosa em Cordisburgo
Lula visita a Casa Guimarães Rosa em Cordisburgo

Política de Lula ajudou a conservar memória de Guimarães Rosa

Atuação do governo Lula por meio do Ministério da Cultura impulsionou museus no Brasil. Casa Guimarães Rosa foi revitalizada por meio da Lei Rouanet

Lula por Minas Gerais: Museu Casa Guimarães Rosa

O Museu Casa Guimarães Rosa, em Cordisburgo, foi criado para divulgar a vida e a obra do escritor. A Agência PT esteve lá antes da caravana para conferir. Assista! Acompanhe a cobertura completa da Agência PT de Notícias: http://bit.ly/2yErqoI#LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais

Publicado por Partido dos Trabalhadores em Domingo, 29 de outubro de 2017

Terra do escritor Guimarães Rosa, a pequena cidade de Cordisburgo, a 130 quilômetros de Belo Horizonte, recebe a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste domingo (29), na caravana Lula Pelo Brasil, etapa Minas Gerais.

Quase um personagem da obra de Guimarães, que retratou tão bem as belezas e mazelas do sertão brasileiro, Lula, que fugiu da seca quando ainda era criança, é responsável por contribuir com a divulgação e conservação do trabalho do escritor.

Criado em 1974, o museu Casa Guimarães Rosa, localizado em Cordisburgo, recebeu um importante apoio do governo federal no ano de 2010, por meio de um edital da Petrobras e da Lei Rouanet.

Com esse aporte financeiro, o museu pode adquirir os livros de Guimarães que faltavam no acervo, revitalizar a expografia e a iluminação, além de realizar uma grande pesquisa de campo ligada obra do autor.

Kamilla Ferreira/Agência PT

Máquina de escrever que pertenceu a Guimarães Rosa

“Por volta de 2010, entramos em edital da Petrobrás, o projeto foi feito via Associação de Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa, através da Lei Rouanet. Esse projeto foi aprovado, que foi um projeto de revitalização do museu”, conta o coordenador do espaço, Ronaldo Alves de Oliveira.

“A nova exposição chama Rosa dos Tempos, Rosa dos Ventos. Foi feita toda uma pesquisa no território onde o Guimarães Rosa fala e descreve, onde se passa a sua obra. O interessante é que esse projeto possibilitou ter marcos territoriais nesses lugares. Tanto em Cordisburgo quanto em vários lugares dentro do Estado de Minas Gerais, onde faz referência em sua obra. São 95 marcos”, conta Oliveira.

Para o coordenador do museu de Guimarães Rosa, as políticas públicas de Cultura implementadas durante o governo Lula, especialmente quando Gilberto Gil era Ministro, ajudaram a alavancar e valorizar os museus.

Lula pelo Brasil: artistas de Cordisburgo

Cordisburgo (MG), destino da caravana de #LulaPorMinasGerais neste domingo (29), é a terra do escritor Guimarães Rosa, mas também abriga muitos outros artistas! Dê o play e confira! Acompanhe a cobertura completa da Agência PT de Notícias: http://bit.ly/2yErqoI#LulaPeloBrasil #LulaPorMinasGerais

Publicado por Partido dos Trabalhadores em Domingo, 29 de outubro de 2017

“Realmente foi um período no qual a área dos museus teve um crescimento muito grande”, afirma Oliveira. “Na parte que os museus estavam inseridos, foi muito bacana. Lembro de ter participado em Ouro Preto de um encontro nacional de museus, foi logo quando o Gilberto Gil assumiu”.

“A partir daí foram desenvolvidas várias ações, inclusive nós participamos de um encontro para a elaboração de um plano nacional de cultura na área de museus. Vários museus foram criados, várias ações foram desenvolvidas justamente nesse período. Então, a minha avaliação é muito positiva. O Póprio Ibram (instituto brasileiro de museus) promoveu uma série de ações, uma série de encontros nesse período”

Para ele, o intercâmbio de museus, com encontros regionais e depois um grande encontro nacional, foi muito importante e resultou em uma rede entre vários museus.

“Os museus tiveram uma ascensão muito grande, novas tipologias de museus surgiram: museus comunitários, museus de favela, a gente percebeu claramente a inserção do museu na sociedade”.

Kamilla Ferreira/Agência PT

Fachada do museu Casa Guimarães Rosa

“As semanas nacionais de museus com temas propostos, buscando a inserção da comunidade, com ações voltadas para a área social, museu como local de encontro para as pessoas para discutir vários assuntos. Tirar essa ideia de que o museu era um espaço velho, de coisa velhas, então nesse período essas discussões foram fortes e isso contribuiu para o crescimento dos museus”.

Segundo Ronaldo, a visita de Lula à Cordisburgo é importante para que o ex-presidente conheça de perto o resultado positivo das políticas implementadas há quase 10 anos.

“Para o museu é importante, porque esse projeto é fruto de uma política na época de sua gestão, ele vai poder ver que esse projeto como outros tantos funcionou”, conclui.

Por Pedro Sibahi, enviado especial à caravana Lula pelo Brasil em Minas Gerais, para a Agência PT de Notícias

A caravana de #LulaPorMinasGerais está em Cordisburgo!! #LulaPeloBrasil

A post shared by Partido dos Trabalhadores (@pt13_oficial) on

Obrigada Cordisburgo, terra de Guimarães Rosa #LulaPorMinasGerais

A post shared by Partido dos Trabalhadores (@pt13_oficial) on

Foto: Ricardo Stuckert
Lula participa de ato cultural em Cordisburgo
Lula participa de ato cultural em Cordisburgo

Ato cultural emocionante em Cordisburgo

pt.org.br