Padre João

O Deputado Padre João iniciou seu primeiro Mandato na Assembleia Legislativa em 2002, sendo eleito com 47.243 votos. Em 2006, foi reeleito deputado estadual com 53.175 votos.

Foi líder do Bloco PT/PCdoB/PMDB na Assembleia Legislativa, membro efetivo das Comissões de Administração Pública e de Constituição e Justiça.

O deputado Padre João foi, ainda, membro efetivo das Comissões Interestadual Parlamentar de Estudos para o Desenvolvimento da Mineração e Preservação Ambiental (CIPE da Mineração); Interestadual Parlamentar de Estudos para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CIPE Rio Doce) e da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. Foi vice-presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais.

O deputado Padre João destacou-se na Assembleia Legislativa pelo trabalho voltado para o desenvolvimento regional sustentável, defesa da Agricultura Familiar, do acesso à terra, da geração de trabalho e renda, do meio ambiente e da segurança alimentar e nutricional.

É de sua autoria a Lei 15.456/2005, que determina incentivo do Estado para as microdestilarias de álcool e beneficiamento dos produtos derivados da cana-de-açúcar , e da Lei 15.012/2004, que assegura direitos às famílias atingidas pela construção de barragens hidrelétricas em Minas Gerais.

Em 2010 – conforme deliberação da X Assembleia Geral do Mandato, realizada em Ponte Nova em 2008 – Padre João concorreu ao cargo de deputado federal. Consagrou-se vitorioso com 111.651 votos, obtidos em 760 municípios mineiros.

Padre João foi presidente do Diretório Municipal do PT de Ouro Branco por dois mandatos. Nas eleições municipais de 2000, concorreu à prefeitura de Ouro Branco, quando o partido elegeu os primeiros vereadores do PT no município.

Padre João é natural de Urucânia e chegou em Ouro Branco em 1994, quando assumiu a assessoria da Pastoral Carcerária, da Pastoral da Saúde e da Pastoral da Criança e do Menor, da Região Oeste da Arquidiocese de Mariana. Desde 1995, quando foi ordenado, ficou responsável pela Paróquia São José Operário, desligando-se da Paróquia no início da campanha eleitoral em 2002.

Em 2001, recebeu o título de cidadão honorário de Ouro Branco. Também neste ano coordenou o 1º Fórum Social pela Vida da Arquidiocese de Mariana, realizado em Ouro Branco.

A história de Padre João junto à igreja mostra o seu envolvimento em causas sociais o que o tornou uma liderança política regional.

Atuou na formação dos Conselhos Municipal de Saúde, de Educação e da Criança e do Adolescente de Ouro Branco. Lutou ao lado das associações de bairro, contribuindo para a conquista de melhores moradias para os moradores do Bairro São Francisco.

Em parceria com Associação Comunitária São Francisco de Assis (Asfa), fundou a Horta Comunitária do bairro. Coordenou a construção do Sopão, alimentando centenas de crianças, gestantes e recém-nascidos, além de conseguir recursos permanentes para manutenção da Creche local.