Postado por Agência PT, em 10 de março de 2016 às 21:20:25

A decisão do Ministério Público de São Paulo desta quinta-feira (10) de denunciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  foi contestada e repudiada por parlamentares, dirigentes e militantes do Partido dos Trabalhadores.

Para o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), o pedido de prisão do ex-presidente Lula não tem base jurídica. “Trata-se de uma medida política, às vésperas das manifestações de domingo. O momento pede responsabilidade e cautela”, escreveu o deputado, em sua página oficial no Facebook.

“Há uma certa perseguição, uma certa pressa de tirar o Lula de cena, que é impressionante. Acabei de fazer um discurso falando isso, que querem tirá-lo de cena. Nunca vi tanto medo de uma pessoa ir para uma eleição em 2018, só pode ser isso. Eu acho assim, a pressa com que esse processo anda, justifica a gente dizer que tem dois pesos e duas medidas, porque a mesma Polícia Federal que foi capaz de fazer esse processo nessa rapidez toda, nunca descobriu de quem era 500kg de cocaína em um helicóptero de um senador. Então, está provado que a pressa é só em relação ao processo contra o Lula”, afirmou a senadora Regina Sousa (PT-PI).

Senadora Regina Sousa diz que pedido de prisão arbitrária do presidente Lula vai acirrar os ânimos. “Isso só acirra os â…

Publicado por Regina Sousa em Quinta, 10 de março de 2016

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) declarou que a ação é uma perseguição ao ex-presidente Lula e uma campanha de ódio. “É inacreditável o que estão fazendo de perseguição ao presidente Lula. Essa ação é tão desastrada, tão frágil, que até o PSDB em nota se distanciou da posição do promotor. Disse que não via sustentação para isso. Até o PSDB. Veja que escândalo. É uma perseguição eu uma campanha de ódio e intolerância”.

PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA DE LULA É INACREDITÁVELO pedido é tão frágil que ATÉ O PSDB se manifestou contra o pedido de prisão. É uma perseguição!

Publicado por Lindbergh Farias em Quinta, 10 de março de 2016

Lindbergh lembrou, ainda, que o promotor que agora pede a prisão de Lula é o mesmo que concedeu entrevista à revista “Veja”e declarou, antes mesmo de ouvir a defesa do ex-presidente, que denunciaria o petista.

“Esse promotor de São Paulo passou de todos os limites. Eu só consigo entender uma razão para uma atitude como essa: tentar tocar mais fogo no ambiente político do País para chamar para a manifestação deles no domingo, a manifestação do dia 13. Esse promotor, eu só tenho uma coisa para definir o que ele fez: está querendo aparecer de forma mais irresponsável possível. Eles estão transformando o ambiente político no Brasil em um clima muito pesado de radicalização política. É um irresponsável”, destacou.

“Nós vamos derrotar esse golpismo. Nós vamos às ruas sim. Nós vamos defender o nosso presidente”, finalizou o senador.

A vice-presidenta do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleide Andrade, também se manifestou contra a decisão do MP-SP. “Não podemos aceitar que façam isso com Lula, as elites brasileiras estão dando um golpe na democracia! O povo na rua não aceitará esse Golpe”.

Não podemos aceitar que façam isso com Lula, as elites brasileiras estão dando um golpe na democracia!! O povo na rua não aceitará esse Golpe #EuConfioLula #NãoVaiterGolpe

Publicado por Gleide Andrade em Quinta, 10 de março de 2016

“Esse pedido de prisão, além de absolutamente despropositado, é de uma fragilidade jurídica impressionante. Demonstra uma vontade de constranger e intimidar o ex-presidente. É incrível ver que o Ministério Público de São Paulo se mostra ágil para querer encarcerar Lula, mas não persegue com o mesmo zelo e rigor os responsáveis pelo merendão e pelo trensalão, escândalo, aliás, que se arrasta há décadas sem punições”, destacou o líder do governo no senado, Humberto Costa (PT-PE).

Já o líder do PT no senador, Paulo Rocha (PT-PA), destacou que o pedido de prisão é retrato de uma provocação que já vem acontecendo há algum tempo. “Este mesmo promotor anunciava, antecipadamente, este processo de perseguição política na nossa liderança maior. Não é surpresa para nós porque claramente é um setor, principalmente do Ministério Público, que seleciona as investigações e as direciona para o nosso partido, para as nossas principais lideranças. Este processo já virou uma perseguição política”, disparou.

PAULO ROCHA REAGE E CHAMA DE ‘IRRESPONSÁVEL’ PROMOTOR QUE PEDIU PRISÃO DE LULAO líder do PT no senado, Paulo Rocha…

Publicado por Paulo Rocha em Quinta, 10 de março de 2016

Outro senador petista, Jorge Viana (PT-AC), também lamentou a decisão. “Quero dizer que é muito estranha essa medida adotada pelo Ministério Público de São Paulo. Não quero fazer juízo porque o MP é parte da vida democrática do Brasil e tem de ser respeitado na sua essência. O que consta é que esse membro do Ministério Público anunciou, na revista Veja, tudo o que está acontecendo, o enredo dele, a narrativa do que faria.

Viera lembrou que os mesmos que denunciam Lula, se calam diante do assalto que está ocorrendo em São Paulo. “Agora mesmo, R$1,8 bilhão. Pelo menos há suspeita desse desvio de dinheiro dos trens do metrô de São Paulo, da merenda escolar. Aí pegam o presidente Lula, que não se negou a prestar esclarecimentos, e atingem a sua esposa, os filhos, os netos. Lamento que essa medida aconteça agora, a três dias de uma anunciada manifestação popular convocada pelo PSDB, convocada pelas oposições”, completou.

Por Luana Spinillo, da Agência PT de Notícias