Villa

Engenheiro e professor, reeleito em 5 de outubro de 2014 para assumir o quarto mandato na Assembleia gaúcha integrando a 54ª Legislatura (2015/2018), a atuação parlamentar de Villa é diferenciada, lastreada na produção de legislações importantes e estruturantes.

Em 2013, Villa presidiu a Comissão Especial de Revisão e Atualização da Legislação de Segurança, Prevenção e Proteção Contra Incêndio no RS, que realizou um amplo e democrático processo de diálogo com entidades, conselhos, sindicatos, especialistas e sociedade civil para elaborar uma legislação atualizada, clara, rigorosa e justa. É a chamada “Lei Kiss” sancionada no final de 2013 pelo governador Tarso Genro.

Como gestor público, Villa mostrou elevada capacidade estratégica quando foi secretário estadual da Ciência & Tecnologia e titular da pasta da Coordenação e Planejamento, durante o governo Olívio Dutra (1999/2002). Na época, projetando um futuro em outro patamar para o Estado, foi um dos principais articuladores da implantação do Centro Nacional de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) que desenvolve a primeira fábrica de semi-condutores da América Latina na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.

Presidente do Fórum Nacional dos Secretários de Estado de Ciência e Tecnologia, à época, foi agraciado com a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico, concedida a personalidades brasileiras e estrangeiras como forma de reconhecimento das suas contribuições científicas e técnicas para o desenvolvimento da ciência no Brasil.

No mesmo período, foi um dos articuladores da criação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). Ainda, teve importante participação na conquista da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) criada à época em que exercia a representação da liderança do Governo Lula na Assembleia, em 2003 e em 2005.

Villa ocupou a presidência da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul durante o ano de 2011 até dia 31 de janeiro de 2012,quando recolocou o Parlamento gaúcho em seu lugar protagônico, no centro dos debates dos temas de interesse da sociedade gaúcha, um projeto viabilizado através do programa “Destinos e Ações para o Rio Grande”, que em parceria com a Câmara Federal de Deputados, realizou cerca de 50 eventos no Estado.

Liderança partidária e referência política no Partido dos Trabalhadores (PT), cujo diretório municipal presidiu em Porto Alegre, Villa foi escolhido por unanimidade candidato às eleições para prefeito da capital gaúcha, em 2012, liderando a coligação Frente Popular- Governo de Verdade.